Feed on
Posts
Comments


Geração Y, geração 2.0, millennials, são diversos os nomes que têm sido dados para essa geração que tem levado a tantas discussões.

Partindo da premissa que todo fato histórico determina uma cultura, que determina um comportamento, sabemos que todas as gerações são influenciadas pela história de seu país, de seu povo. E é exatamente por isso que mudam hábitos e conceitos, evoluindo através do que chamamos de transgressão, que nada mais é do que ir contra antigos conceitos, buscando uma nova forma de ser, um novo comportamento, que rompe com antigas concepções e nos leva ao crescimento.

Viajou? Bem, estão vamos lá deixar mais claro: Partilhamos da idéia de que as nossas gerações são diferentes das dos outros países, pois cada um deles passou por uma transgressão, com acontecimentos econômicos e culturais específicos, que fizeram com que os comportamentos se dessem de forma distinta e em diferentes momentos.

Aqui no Brasil, vocês podem não se lembrar, mas passamos pela mega-super-inflação que deixava o dinheiro de todo mundo curtinho no fim do mês, pelo congelamento do nosso sagrado salário nos bancos, pela Ditadura, em que muitos foram presos por falar de mais e da forma como queriam, e por milhões de outras coisas que talvez tenham contribuído para a nossa tão questionada autoestima.

Os nomes que conhecemos são trazidos de uma realidade que não é a nossa. Não é a nossa história, nossa música, não são nossos ídolos, mitos e nem nosso folclore. Não são nomes verde-amarelo, com o Brasil estampado no peito.

Por isso, defendemos a idéia de que precisamos identificar as nossas gerações, com características e nome nacionais, recuperando nossa identidade e podendo perceber as diferenças perante outras culturas. Afinal, foi-se a época que o Brasil precisava importar coisas dos outros, né? E essa geração está ai pra mostrar justamente isso.

Dessa forma, vamos começar procurando entender qual deve ser o nome da geração de jovens no Brasil e pretendemos ouvir de vocês sugestões que se adequem a essa tropa do nosso país.

Gostaríamos que todos opinassem, pesquisassem e contribuíssem! Afinal, essa é a nossa própria identidade.

Você já tem sua idéia? Então participe da pesquisa clicando aqui.

Contamos com você nessa pesquisa colaborativa!

Related Posts with Thumbnails

10 Responses to “Afinal, qual é o nome da geração de jovens no Brasil?”

  1. Vinicius Leal disse:

    Antes de dar uma sugestão tenho dúvidas:
    - Como surgiu essa idéia de transpor a identidade brasileira na palavra que define a geração atual de jovens? Afinal, temos muitos exemplos de estrangeirismo em nosso vocabulário, mas por trás dessas palavras vindas de vocabulários estrangeiros, por trás do conjunto de caracteres, existe a essência e o significado da palavra, que em alguns casos são bem nacionais e “nossos”, independente da origem da palavra. A busca pelo nome da geração jovem atual se limita apenas em uma nova palavra, o uso de um outro termo mais abrasileirado? Isso para mim não ficou claro. É difícil entender esse processo de escolha de um novo termo a ser usado para “geração Y” se o significado desse termo continuará sendo o mesmo: o jovem atual…

    • Eline Kullock disse:

      Oi Vinicius,

      Na verdade, não só o nome dessa geração, mas também as características, influências, tudo foi importado dos Estados Unidos. Sabemos que a tecnologia chegou muito antes lá, e isso altera e interfere na maioria dessas características de que nos apropriamos para definir os jovens atuais.

      Porém, acredito que a nossa história seja muito diferente da história deles. Tivemos uma hiper-inflação que nos deu uma baixa auto-estima, uma ditadura forte que não nos deu possibilidade de nos expressarmos diretamente, não participamos de guerras e não somos beligerantes. Reagimos com mais bom-humor às questões complicadas e com mais sensualidade. Isso nos torna diferentes dos jovens americanos? Acho que sim.

      Então, por que utilizar nomes estrangeiros? Queremos encontrar nossa própria identidade e acreditamos que um nome nacional também é importante nessa tarefa, até mesmo para que não haja confusão nas definições. O que buscamos é uma nova definição nacional, que nos faça ver o que determinou as grandes mudanças de comportamento.

      Somos mais sarcásticos, brincalhões, rimos de nós mesmos. É isso que estamos pesquisando e se você puder ajudar eu vou te agradecer muito!!!

      Muito obrigada pela sua contribuição e esperamos para ouvir seus comentários!

      Beijo, Eline

  2. DILON disse:

    visionaries of the future
    BEM SOU DE G.V deu pra sentir que a juventude e Dinâmica ela evolui globalmente.Se tiver que ir a luta em outros Campos ela vai!se tiver que pagar o preço de deixar a familia e a segurança de seu Lar pra estudar fora ,morar fora .Trabalhar fora ele vai …então tem que se atualizar não ficar na “mermice” o que “ocês” acham ?muito bom isto define ser Jovem VISíONARIO minha sugestão pro nome e
    ( J.V)
    mesmo que alguem ache o termo ligado JOINT VENTURE…

  3. Thanius disse:

    Eline, boa tarde. Vi alguns dos seus textos e fiquei com uma dúvida: De onde vem os nomes das gerações, como X e Y? Baseados em que dados os estudiosos separam as gerações (por que a Y é depois de 1978, e não 1980, por exemplo? Por que alguns usam datas diferentes? São correntes de estudos diferentes?)?

    Obrigado pela atenção.

  4. Gisele Witte disse:

    O que o Thanius comentou também é uma dúvida minha.
    Segundo algumas fontes consultadas, eu seria uma Y.
    Segundo outras, uma Z.
    Há características de ambas com as quais eu me identifico, ao mesmo tempo em que há características que não vejo em mim.
    Onde começa e onde termina efetivamente cada uma?

  5. Eline, acredito que um dos maiores símbolos da geração de jovens atual é o seu alto nível de relacionamentos virtuais, até mais ampla do que os relacionamentos físicos e de corpo presente. Com isso, se pudéssemos fazer uma analogia consumista como aquela que nomeou a Geração Coca-cola, no sentido liberal e independente de ser, acredito que essa atual seria a Geração MSN, mais bem nominada de Geração da Sociedade Virtual.

    O jovem de hoje passa mais tempo de suas horas vividas diante de seu computador do que em outros ambientes sociais concretos, quando não está em horário de trabalho ou em período escolar. Por isso acredito que é membro de uma sociedade virtual, e que essa seja uma de suas características mais marcantes.

    Grande abraço!

  6. Santiago disse:

    Somos a geração indecisa.
    Mas não indecisa por falta de conhecimento e experiência, mas por excesso.. desde que nascemos recebemos informações na escola, no cinema e na televisão sobre toda a humanidade e encontramos falhas tão drásticas em todas, esse receio nos faz ter medo de adotar uma ideologia e cair depois no ridículo, como quase todas caíram.. as que não caíram foram aquelas que foram massacradas, as gerações e civilizações destruídas por outra no auge de sua hegemonia, são como o cantor que morre antes de ficar careta.
    Essa é a razão para podermos ser chamados “não como crítica” de geração indecisa, estamos todos a espera de algo que faça sentido, evitando nos deixar cegar por doutrinas compradas, que vem de todos os cantos, da política a religião e aos métodos pedagógicos.

    Espero ter contribuído, mesmo 2 anos depois que abriu essa pesquisa, estou aqui relatando de volta minha opinião pois aqui encontrei um tema para a letra de música que escrevi hoje, a escrevi com graciosidade da música de Elvis e Beatles ao fundo, pois fica uma dica: a arte sincera e profunda, não morre com o resto.

Deixe Seu Comentário